sexta-feira, 30 de julho de 2010

Paticipação especial...

Meninas,

Recebi dois e-mails do Gui Otani sobre assuntos que nos interessa muito, segue um e mais tarde posto o outro. Viram que legal, tem gente que pensa na gente, que nos dá força!!! Gui, VALEUUUUUU!!!


Balança pode ser falsa referência quando o assunto é emagrecimento

Muito comum, quando o assunto é emagrecimento, a relação perda de peso e balança é o parâmetro adotado pelas pessoas como guia de sucesso ou fracasso. Todavia, a balança, da farmácia ou do banheiro de casa, mede a quantidade de massa total do organismo (músculo, gordura e água) e não especificamente a perda de gordura branca (gordura ruim – LDL). Sendo assim, se houver perda de músculo ou água o ponteiro da balança também irá cair. E, se ocorrer o aumento de massa magra, o resultado será aumento de peso. 

O nutrólogo e ortomolecular Dr. Antonio Pacileo, da clínica Health, faz um alerta: “A gordura branca (ruim), dentro da composição corporal, é a que menos pesa, só ocupa espaço. Por exemplo: uma pessoa normal, com gasto calórico normal, consegue perder no máximo 750g de gordura por semana. Por isso, temos que tomar cuidado com a palavra emagrecer. A frase: “Emagreci 10 kg em 1 mês” é muito forte. Provavelmente houve a perda de músculo”.

Hoje, os médicos são unânimes quando o assunto é emagrecimento. Ter saúde, acima de emagrecer, é a importância apontada diariamente pelos profissionais. “É necessário ter um ‘equilíbrio metabólico’. Pode acontecer da pessoa magra não ter saúde por lhe faltar a quantidade de músculo necessária para o seu organismo, uma sarcopenia (do grego: “pobreza de carne”, ou seja, perda da força muscular pela ausência de músculo, que gera fragilidade e a redução do equilíbrio). E, por isso, o corpo começa, incansavelmente, a trabalhar para compensar o desequilíbrio na produção de energia, resultando em doenças neurodegenerativas (em que ocorre a destruição progressiva e irreversível de neurônios, como Parkinson, Alzheimer, entre outras) e relacionadas ao envelhecimento”, destaca Dr. Pacileo.

A eliminação da gordura “ruim” do corpo é necessária para prevenir doenças, porém com cuidado. “Nem sempre a certeza de que emagreceu devido a calça mais larga, dos elogios dos amigos e a diminuição do número registrado na balança, é bem vista pelos médicos. Será que não está acontecendo perda de água ou, até mesmo, de músculo? A melhor forma de conseguir mensurar a real relação entre a massa muscular e a gordura branca é através do exame de bioimpedância, que detalha os percentuais de gordura que estão debaixo da pele e entre os órgãos, massa magra e água corporal. Todavia, é mais do que importante um acompanhamento profissional para ler o resultado e indicar um tratamento correto”, reforça o nutrólogo e ortomolecular Dr. Antônio Pacileo.

Para saber mais acesse: www.healthy.com.br

3 comentários:

  1. Ai Guilherme,muito obrigada mesmo!!! será que aki em Mogi tem esse exame de bioimpedância? eu ja fiz esse exame com o Dr. Marcelo Bronstein, mas se tiver aki em Mogi, seria melhor, pq ai todas nos poderiamos fazer, neh.

    ResponderExcluir
  2. que bonito o Gui nessa foto!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. goxtei... já fiz com um médico aqui em Mogi. depoix conto.

    ResponderExcluir